Últimas

Ex-transgêneros fazem documentário sobre seus arrependimentos


O documentarista David Kyle Foster lançou em junho um novo filme que relata histórias de ex-transgêneros. TranZformed: Finding Peace With Your God-Given Gender (“Transformados: encontrando a paz com o gênero que Deus lhe deu”, em tradução livre) é escrito por Foster, que afirma ser ex-homossexual, e dirigido por Karl Sutton.

Vivemos hoje dias em que globalistas da esquerda mundial tem implantado com louvor em muitos países a "Ideologia de Gênero" afirmando que as pessoas não nascem com sexo definido e podem escolher se serão homens ou mulheres à medida que vão se desenvolvendo fisicamente.

Eles têm atacado principalmente as crianças com essa ideologia, pois suas mentes ainda são muito jovens para discernirem o perigo dessa afirmativa e podem facilmente ser influenciadas. Daí a necessidade de a família proteger e ensiná-las sobre os mais diversos assuntos sobre moralidade, respeito, educação, amor e muitas outros temas que fomentarão o caráter daquele futuro adulto.

Globalistas negam até mesmo a biologia humana, na qual diz que não há diversidade sexual de espécies, mas que apenas existe macho e fêmea para que haja continuidade do ciclo biológico do planeta. Em alguns casos isolados, alguns se reproduzem sozinhos na falta do macho como algumas espécies de peixes, cobras e lagartos.

No Brasil, o mais conhecido ex-trangênero Pr. Joide Miranda
Em outra afirmativa mais contraditória, ativistas LGBT dizem que gays nascem gays, desmentindo a primeira afirmativa, de que ninguém nasce com sexo definido.

A outra mentira é a de que um heterossexual pode se tornar gay e nunca o contrário. Como percebemos, em apenas três situações simples colocadas, o quão tendenciosas e enganadoras são essas afirmações. Muitas pessoas se deixaram levar por isso e tiveram vidas devastadas por aquilo que acreditaram e praticaram por anos e agora, querem voltar as raízes sexuais que a natureza lhes deu no momento da concepção.



Quase todos eles, se não todos, foram vítimas de abuso sexual infantil.

O documentário, além de abordar a história da transgeneridade desde a antiguidade, apresenta quinze pessoas ex-transgêneros. Segundo Foster, o traço comum entre elas é o de que “quase todas, senão todas, foram vítimas de abuso sexual na infância”.

“A mensagem do filme é a de que as pessoas são muito fragilizadas e precisam de muita ajuda”, disse o produtor ao site norte-americano ChurchMilitant. Ele acredita no impacto que a produção possa ter na vida de pessoas transgêneros que estão à procura de forças para deixar para trás esse estilo de vida.

No filme, Foster aborda ainda a alta taxa de suicídio entre pessoas com “disforia de gênero”, que chega a 40%. Ele explica que a tendência ao suicídio cai logo após a cirurgia, mas aumenta a partir do momento em que a pessoa começa a se arrepender.

“A cirurgia não conserta nada”, diz ele. “Só torna tudo mais complicado e custa um dinheirão. Então a pessoa entra em depressão depois de uma euforia inicial por ter atingido seu objetivo”.

Foster já produziu Such Were Some of You (2014), que relatou a história de 29 pessoas que se declaram ex-homossexuais, e How Do You Like Me Now? (2016), dirigido a parentes e amigos de pessoas homossexuais.




Fonte: ChurchMilitant.com

Um comentário:

  1. Eu sou Trans e não me arrependo....
    Sou Feliz e hj tenho 56 anos de idade...
    Nunca pensei em suicídio, muito pelo contrário!
    Quero viver cada dia mais pq sou contente do meu sonho ter sido realizado!

    ResponderExcluir

Os comentários serão moderados antes de serem publicados.