Últimas

Mercosul deve assinar acordo para compartilhar embaixadas pelo mundo


 Os serviços que serão compartilhados ainda devem ser definidos pelas autoridades.




O Mercosul – Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai – deve assinar um acordo para compartilhar as embaixadas ao redor do mundo. A ideia é disponibilizar serviços dos consulados do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai a qualquer cidadão desses países. Na prática, isso significa que um brasileiro no exterior pode recorrer à embaixada argentina, paraguaia ou uruguaia em caso de emergência ou dúvida.

O acordo deve ser assinado na próxima quarta-feira (18), durante a 54ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, em Santa Fé (Argentina). Segundo o governo brasileiro, os demais países do bloco econômico já disseram concordar com as regras propostas.

Os serviços que serão compartilhados ainda devem ser definidos pelas autoridades.

Os presidentes também devem discutir um acordo de integração migratória, que prevê o compartilhamento de informações sobre migrantes. Nesse caso, os dados partilhados teriam relações com questões de segurança, como antecedentes criminais.

O acordo permitirá que, em caso de emergência ou dúvida, um cidadão brasileiro recorra, por exemplo, a um consulado argentino na Europa ou na Ásia. Os serviços consulares disponíveis nesses postos emprestados ainda terão de ser definido.

Efeitos da medida

O Brasil, segundo o site do Ministério das Relações Exteriores, tem “uma das maiores redes consulares do mundo”. São 145 países com representação presencial e outros 55 atendidos à distância – o consulado brasileiro em Paris atende às questões em Mônaco, por exemplo.

A Argentina tem representação em 168 países – em boa parte, com o mesmo expediente de atendimento à distância. O Paraguai, por sua vez, lista apenas 41 embaixadas no site da chancelaria.

Mesmo assim, turistas ou residentes brasileiros no exterior poderão se beneficiar. Na Alemanha, por exemplo, o Brasil tem representação consular em Berlim, Frankfurt e Munique. A Argentina tem postos em Berlim, Frankfurt, Bonn e Hamburgo – esses dois últimos podem passar a atender brasileiros.


G1



Nenhum comentário

Os comentários serão moderados antes de serem publicados.