Últimas

1.776 mortes violentas foram registradas em um ano no estado do Maranhão



Um montante de 1.776 mortes violentas intencionais (homicídio, latrocínio, lesão seguido de morte, morte de policial e de bandiso mortos pela polícia) ocorreram ano passado no Maranhão, segundo dados do 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. A média foi de 148 assassinatos por mês. Em 2017, o registro foi maior, de 2.058 mortes violentas em todo o estado. As informações são coletadas das secretarias estaduais de Segurança Pública e Defesa Social e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, ocorreram 57.341 mortes violentas ano passado no Brasil e, contra 64.021 casos em 2017.

No Maranhão, segundo os dados do Anuário, ocorreram no ano passado 1.619 homicídios dolosos, enquanto os crimes de latrocínio (roubo seguido de morte), foram 71 casos e o registro de 14 casos de lesão corporal seguido de morte. Houve, também, o registro de quatro assassinatos de policiais e 72 casos de mortes decorrentes de intervenção policial. Somente na Grande Ilha, foram 297 mortes violentas intencionais no ano passado, enquanto que em 2017, um total de 473 casos.

Um dos casos que chamou a atenção no ano passado foi o assassinato do delegado da Polícia Federal David Farias de Aragão, de 35 anos, ocorrida no dia 5 de maio. Três homens invadiram uma casa na praia do Meio, em São José de Ribamar, onde a vítima e sua família participavam de uma festa familiar. Ao reagir ao assalto, o delegado foi morto a tiros e a golpes de faca por um dos bandidos e ainda teve a sua pistola roubada.

No dia 6 de fevereiro deste ano, os acusados desse crime, Davi Costa Martins e Wanderson de Morais Baldez, foram condenados a mais de 30 anos de reclusão cada em regime fechado pela Justiça Federal. Um adolescente também foi envolvido nesse crime. A sentença de condenação foi expedida pelo juiz da 2ª Vara Criminal da Justiça Federal, Magno Linhares. A pena de Davi Costa Martins foi de 32 anos e seis meses, enquanto a do seu cúmplice, foi 31 anos e 10 meses de prisão. Os dois réus já estão presos há oito meses no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Número



1.776 mortes violentas intencionais ocorreram durante o ano passado no Maranhão, 297 somente na Região Metropolitana de São Luís.





Nenhum comentário

Os comentários serão moderados antes de serem publicados.